História de Mairi - BA


Histórico. 

Descobertas por colonizadores que exploravam as minas de ouro de Jacobina, que a apelidaram de Monte Alegre da Bahia, e que mais tarde passaria a chamar-se Mairi, são lembrados os imigrantes e sua famílias dos séculos XVIII e XIX que permaneceram em Mairi e influenciaram o seu desenvolvimento. 

Os portugueses, Antônio João Belas e sua mulher Mariana, que aqui se fixaram no final do século XVIII, e com eles vindo o irmão de Mariana, José Carlos da Mota. Este, tempos depois, continuou viagem, adentrando-se pelas matas do oeste . Este casal teve muitos filhos, entre os quais, Manuel e Joaquim Alves Belas, que se tornaram líderes políticos e governaram o município muitos anos. Morreram pobres, sendo que o primeiro faleceu, ingerindo tóxico, em 1905, e deixaram muitos descendentes. Outro português, Jerônimo Ferreira Moreira, casou-se em Jacobina com a compatrícia Marcolina e teve prole numerosa. Um de seus filhos, Alexandre Ferreira Moreira, foi intendente municipal, e exerceu marcante liderança política, falecendo em 1919. Dois filhos de Alexandre foram prefeitos em Mairi: Hermes e Abelardo Cohim Moreira. Um filho de Aberlardo, Carlos Raimundo de Almeida Moreira, também foi prefeito. 

Formação Administrativa 

Distrito criado com a denominação de Monte Alegre, pela lei provincial nº 67, 01-07-1838.

Elevado à categoria de vila com a denominação de Monte Alegre, pela lei provincial nº 669, de 31-12-1857, desmembrado do município de Jacobina. Sede na antiga povoação de Monte Alegre. Constituído do distrito sede. Instalado em 11-01-1862. 

Elevado à condição de cidade com a denominação de Monte Alegre, pela lei estadual nº 196 ou 169, de 05-08-1897. 

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município é constituído do distrito sede. Assim permanecendo nos quadros de apuração do recenseamento geral de 1-IX-1920. 

Pelo decreto estadual 7479, de 08-07-1931, Monte Alegre adquiriu o extinto município de Baixa Grande, como simples distrito. 

Pelo decreto nº 8453, de 31-05-1933, desmembra do município Monte Alegre o distrito de Baixa Grande. Elevado novamente à categoria de município. 

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937. 

Pelo decreto-lei estadual nº 141, de 31-12-1943, retificado pelo decreto estadual nº 12978, de 01-06-1944, o município de Monte Alegre tomou a denominação de Mairi. 

No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o município de Mairi (ex-Monte Alegre) é constituído do distrito sede. 

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município permanece constituído do distrito sede. 
Pela lei estadual nº 1744, de 22-07-1962, o município de Mairi volta a denominar-se Monte Alegre da Bahia, cuja vigência depende da divisão territorial do Estado da Bahia. 

Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município de Mairi é constituído do distrito sede 
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1993.

Pela lei municipal nº 322, 05-04-1994, é criado o distrito de Angico e anexado ao município de Mairi. 

Em divisão territorial datada de 2004, o município permanece constituído de 2 distritos: Mairi e Angico. 

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007. 

Alteração toponímica municipal 

Monte Alegre para Mairi, alterado pelo decreto-lei estadual nº 141, de 31-12-1943, retificado pelo decreto estadual nº 12978, de 01-06-1944.

Gentílico: mairiense

Aspectos geográficos

População

Ocupando uma área de 905,851 km², Mairi conta atualmente com uma população de 19 335 habitantes segundo dados de 2010 do IBGE, com uma densidade demográfica de 21,34 hab/km2.

Limites

Localizado entre as cidades de Várzea da Roça e Baixa Grande, na Mesorregião do Centro-Norte Baiano e na Microrregião de Itaberaba.

Clima

O tipo climático do Município é o semi-árido e seco, subtropical e ameno, com perene estiagens e períodos chuvosos, variado entre abril a junho e novembro a janeiro. A precipitação média anual varia entre 600mm a 800mm e a temperatura média é de 23º 6 C (graus centígrados).

Fonte: IBGE

Turismo e Festas Populares

Monte da Santa Cruz

A Santa Cruz do Monte Alegre, como ainda a designam, é o cartão postal da cidade de Mairi. Qualquer que seja o ponto de quem se aproxima da cidade, a primeira vista que se descortina é a beleza mística da capela lá no alto.

Carnaval

O Carnaval é realizado com bailes nos clubes sociais e também na Praça J.J Seabra, com o tradicional baile dos mascarados pelas ruas da cidade.

Semana Santa

A Semana Santa tem as belas cerimônias do seu rito, quando a demonstração de fé se torna evidente na população. Igreja católica faz romarias à Capela da Santa Cruz do Monte Alegre, ao som de hinos religiosos. O sábado de aleluia é famoso por ter grandes festas.

São João

O São João típico e animado é um dos maiores da região. Há fogueiras, danças e comidas típicas, blocos, charangas e trio elétrico. A festa é realizada nas ruas e praças públicas. A noite os festejos se concentram na Avenida Senhor do Bonfim, com grandes atrações de forró.

Aniversário da Cidade

É comemorado no dia 5 de agosto. Diversas atrações se apresentam na Praça J.J Seabra. Há hasteamento da bandeira, missa solene, maratonas, apresentações de fanfarras e diversas outras apresentações artísticas e culturais.

Festa da Padroeira

Das festas católicas, a principal é a da padroeira local, Nossa Senhora das Dores, celebrada a 15 de setembro, com novena, missa solene, pregação sacra e procissão por algumas ruas. Na parte profana há a lavagem do adro da igreja, alvorada, barracas com bebidas e comidas, leilões, jogos e muita música.

Natal

Os festejos natalinos é uma das épocas em que os mairienses costumam se encontrar e se confraternizar em família. É o momento em os muitos filhos da terra retornam para rever amigos e parentes.
















Fotos recentes:































História de Mairi - BA História de Mairi - BA Reviewed by Agmar Rios on 8/03/2018 02:50:00 PM Rating: 5

Nenhum comentário