Cidades mineiras sofrem com inundações e deslizamentos de terra após fortes chuvas

A chuva dos últimos dias castiga diversas cidades de Minas Gerais. Por causa das pancadas, diversos municípios registram alagamentos, inundações e deslizamentos de terra. Uma idosa morreu em Ribeirão das Neves. Em Santa Cruz do Escalvado, as ruas ficaram alagadas e deixaram moradores ilhados.

De acordo com a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), cinco mortes causadas pelas chuvas foram confirmadas em Minas Gerais desde o início do período chuvoso, em outubro. As duas mais recentes são a mulher em Ribeirão das Neves e uma criança de seis anos levada pela correnteza em Perdizes, no Alto Paranaíba, neste fim de semana.

Somente neste fim de semana, o Corpo de Bombeiros registrou cerca de 300 ocorrências em cidades da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

De acordo com Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a previsão é que os dias sejam bastante chuvosos na primeira quinzena de dezembro em Minas.

Segundo o meteorologista Luiz Ladeia, na capital mineira, somente nos primeiros quatro dias do mês, foram registrados 200,9 milímetros de chuva, o que representa cerca de 62% da média esperada para dezembro na cidade. Nas últimas 24 horas, o registro foi de 93 milímetros.

No dia 30 de novembro, as prefeituras de Ribeirão das Neves, Caeté e Pedro Leopoldo decretaram emergência após fortes chuvas prejudicarem as cidades.
Santa Cruz do Escalvado

Na cidade, na Zona da Mata de Minas Gerais, ruas viraram “rios” e deixam moradores ilhados após forte chuva neste domingo (3). Imagens registradas por celular mostram árvores e imóveis encobertos pela água inundação.

De acordo com a prefeitura, 18 famílias estão desabrigadas no município, que tem cerca de 5 mil habitantes. A única policlínica da cidade ficou totalmente destruída. O prédio da prefeitura, da Polícia Militar (PM) e da Câmara Municipal também foram atingidos.

As pontes que dão acesso à cidade foram levadas pela enxurrada. Ainda segundo a prefeitura, o município está sem água, sem energia elétrica e sem telefone nesta segunda-feira (4).
Ribeirão das Neves

A cidade, que já havia sido atingida por um temporal com granizo na semana passada, ainda enfrenta consequências da chuva.

Neste domingo (3), uma idosa morreu depois que uma galeria fluvial que passa pelo quintal inundou. Ela estava acamada e os vizinhos não conseguiram resgatá-la.

Nesta segunda-feira (4), os ministros das Cidades, Alexandre Baldy (Pode), e da Integração Nacional, Hélder Barbalho (PMDB), sobrevoaram a cidade junto com o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT). A cidade teve a situação de emergência reconhecida no boletim mais recente da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec).

Belo Horizonte

Devido às inúmeras pancadas de chuva durante o fim de semana, moradores da capital enfrentam diversos transtornos. Entre a sexta-feira (1ª) e a manhã desta segunda-feira (4), a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec) registrou 188 ocorrências

Um deslizamento, ocorrido nesta segunda-feira (4), na Avenida Ribeiro de Paiva, no bairro João Pinheiro, na Região Noroeste de Belo Horizonte, ameaça um imóvel.

Neste domingo (3), um desmoronamento de encosta atingiu uma casa e três vítimas tiveram ferimentos leves e foram socorridas por, no Minas Caixa, na Região de Venda Nova.

Também neste domingo, uma cratera se abriu em um trecho da Avenida Assis Chateaubriand, perto do Parque Municipal, no Centro de Belo Horizonte. Diversas árvores caíram pela cidade.
Contagem

A cidade na Região Metropolitana de Belo Horizonte é uma das cidades que mais sofrem com os impactos da chuva nesta segunda-feira (4).

Cerca de 20 famílias foram retiradas de casa por causa do deslizamento de um aterro que sustenta a estrutura de uma linha de trem na altura do bairro Vila São Paulo. A terra atingiu imóveis e bloqueou a Avenida Tereza Cristina, sentido Belo Horizonte.

De acordo com a VLI, controladora da Ferrovia Centro-Atlântica (FCA), o desmoronamento aconteceu por causa do "volume atípico de chuvas na região".

Um prédio também foi interditado na Rua Joviano Camargos, na região Sede, e os moradores de mais de 30 apartamentos oram levados para casa de parentes. Nesta tarde, uma equipe de engenharia vai analisar por que o solo e o alicerce do imóvel cederam.

Vespasiano

O bairro Morro Alto, onde um homem teria sido levado pela correnteza, é um dos mais atingidos. Militares recebem informações de populares de que a vítima caiu em uma galeria que desagua em um córrego, não sendo mais vista.

Segundo a prefeitura, outros bairros atingidos pela chuva são Vila Esportiva, Jardim da Glória e Angicos.

Zona da Mata

Além de Santa Cruz do Escalvado, outras seis cidades da Zona da Mata – Abre Campo, Pedra Bonita, Rio Casca, Santo Antônio do Grama, São Pedro dos Ferros e Urucânia – estão sem luz. A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) precisou fazer o desligamento emergencial da rede de energia elétrica que abastece os sete municípios por risco de choque e eletrocussão.

Em Rio Casca, a BR-262 foi totalmente interditada na altura do km 120. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, a pista está alagada e não há previsão de liberação.

A chuva também atingiu Ponte Nova. O córrego Passa Cinco transbordou, deixando ruas alagadas. A água também invadiu várias casas.

Urucânia também é uma das cidades afetadas pela chuva em Minas. Segundo o prefeito Frederico de Carvalho, quatro pessoas estão desaparecidas em uma comunidade rural, entre elas duas crianças e uma mulher. Foram cinco horas de chuva na madrugada desta segunda-feira (4) e uma precipitação de cerca de 150 mm, de acordo com o prefeito. Também há pessoas desalojadas sendo levadas para abrigos.

Em Santo Antônio do Grama várias casas foram destruídas, segundo a prefeita Alcione Albuquerque (PP). O centro da cidade foi totalmente tomado pela água na manhã desta segunda-feira. Estradas também ficaram destruídas. A prefeita afirmou que não há registro de vítimas na cidade.

Em Muriaé, dois idosos, de 61 e 63 anos, sofreram um acidente na manhã desta segunda ao bater com o carro na barreira de pedras da BR-116. O trecho está interditado desde a madrugada de sábado (2), depois que uma encosta caiu no Km 714 da rodovia. Choveu na região durante todo o final de semana e não há previsão para liberação da pista.

Também nesta segunda, algumas casas foram alagadas pela enchente e a MG-108 foi interditada após uma forte chuva em Lajinha. O Rio São Domingos transbordou e o asfalto da rodovia cedeu abrindo uma cratera. O local está interditado.

Vale do Aço

O fim de semana também foi de chuva no Vale do Aço. Foram registradas cerca de 30 ocorrências entre a madrugada e manhã do sábado (2), segundo a Defesa Civil de Ipatinga.

Segundo o órgão, obstrução de vias, alagamentos, deslizamentos de encostas e barrancos, e quedas de muros foram os principais problemas causados. Timóteo, Coronel Fabriciano e Caratinga estão entre as cidades atingidas.

Sul de Minas

As cidades de Varginha e Pouso Alegre registraram pontos de alagamento após chuva na madrugada desta segunda-feira (4). Ruas ficaram alagadas e a água chegou a invadir algumas casas. Em Varginha, o muro de uma escola municipal caiu, mas ninguém ficou ferido.

Centro-Oeste

A Defesa Civil de Divinópolis alerta para o grande volume de chuva que pode atingir a região nesta segunda. A previsão, segundo o órgão, é de 100 milímetros. Nesta madrugada foram registrados deslizamento de terra e alagamentos. Devido à chuva dos últimos dias, buracos tomam conta de várias ruas da cidade.

Fonte: G1













Cidades mineiras sofrem com inundações e deslizamentos de terra após fortes chuvas Cidades mineiras sofrem com inundações e deslizamentos de terra após fortes chuvas Reviewed by Agmar Rios on 12/04/2017 11:06:00 PM Rating: 5

Nenhum comentário